sexta-feira, 30 de setembro de 2016

[9732] - REGIONALIZAÇÃO - RETROSPECTIVA...



Fazendo um pouco de justiça e refrescando um pouco a memória, um tanto pré-condicionada:

1- Foi o partido que suporta este governo que, pela 1ª vez, falou de regionalização e, mais, promoveu a consagração na Constituição da República das autarquias supra-municipais;
2- Até porque foi o MpD que ressuscitou os municípios, consagrando-os na Constituição e nas Leis, como poder autónomo e táo legítimo com o poder do Estado;
3- Municípios que o PAIGC-CV, indo muito mais longe do que Salazar, tinha exterminado e substituído por secretariados administrativos, com as câmaras municipais e os presidentes a serem substituídos por delegados do governo e as assembleias municipais por conselhos deliberativos, todos nomeados, directa ou  indirectamente;
4- Foram figuras do MpD, que escreveram os primeiros artigos e fizeram os primeiros discursos pró-regionalização, tendo, por sinal, sido, até, eu que fiz a primeira mobilização pró-regionalização e os primeiros apelos à defesa da Região Autónoma do Noroeste, por minha conta e meu risco, mas como deputado da Nação, por São Vicente, pelo MpD.
5- A posição ou a declaração da ministra Eunice Silva foi uma gaffe ou um erro, que não vincula todo o Governo e, menos ainda, apaga essas verdades.
6- Os primeiros discursos públicos, em defesa da regionalização, feitos por figuras do MpD, incluindo, Carlos Veiga, foram "saudados" pelo presidente do PAICV e, então, primeiro-Ministro, José Maria neves, com insustos e vitupérios, chamando-nos de inimigos da Nação, semadores de discória entre a Nação.
7- Perante os movimentos e os discursos de entidades sanvincentinas, políticas e sociais, José Maria neves tripudiou sobre São Vicente e os sanvincentinos, dizendo, de forma insolente e menospreziva, que São Vicente se tinha transformado no muro das lamentações.
8- Etc., etc., etc.,...
9- É preciso, é honesto, é justo, é aconselhável não esquecer esses factos.
10- E os papalvos e ignorantes, verdadeiros idiotas, cuja estreiteza de vistas e superficialidade umbiguista, estão a ser aproveitada pelos centralistas, declarados ou disfarçados, do MpD, do PAICV e dos sem partido, não são gente de Santiago, são e estão e têm estado em São Vicente, inflados, a polir calçada e a arrotar asneiras, cheios de si e carregados de não me importa.
11- E cegos pelo bairrismo umbiguista, míope e leviano, estão a engolir como pósse ganete o isco, armadilhado, do modelo ilha-região, curiosamente, defendido pelas elites do MpD e, igualmente, pelas do PAICV, quando este partido, no sem remédio, teve que declarar que aceitava o que, em verdade, não aceita, isto é, a regionalização.
12- A questão, seja como for, é mais complexa que qualquer declaração da Eunice Silva ou de outro dirigente ou membro do governo, do MpD, ou do PAICV, mas nesta contas quem ganha, por enquanto, é o MpD, mesmo que contaminado pelas toxinas de alguns vermes ou veneno de alguns répteis.
13- E os reactivos de Santo Antão, alguns, até, furiosos, não são de Santiago, embora sejam aliados importantes e poderosos dos centralistas, de Santiago e não só.
13- É bom e digno não esquecer a história, por sinal, até mais ou menos recente, e criticar, combater, com sentido de justiça, se não, baralhamos tudo e parecemos salvadores da pátria, que não salvam nada.

Mas eu tenho de ficar por cá, porque a minha situação assim me obriga.
Abraço caboverdiano, sanvincentino, noroestino,

António Pascoal dos Santos
Tony de Nha Senhorinha
Filho, neto, bisneto, de gente de Santo Antão
De Chã do Cemitério e Monte Sossego
E de Feijoal Preto;Goa,  Aldeia, Panelinha ...

Sem comentários:

Enviar um comentário