quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

«10003» - NO COMMENT...

FAROL DO BOI...


Fotos de J. Leão - jAN. 2017

7 comentários:

  1. Junta-se o necessário enquadramento, escavado na Wikipedia:

    O farol de Fontes Pereira de Melo, também conhecido por farol da ponta de Tumba ou do Tumbo, ou ainda farol de Boi, é um farol cabo-verdiano que se localiza na ponta nordeste da Ilha de Santo Antão, na freguesia de Santo António das Pombas, junto da povoação de Janela, a cerca de 10 km a Sudeste da Vila das Pombas.

    É uma torre branca octogonal em alvenaria rebocada, com lanterna e galeria, e 16 metros de altura. Em anexo existe um edifício térreo para faroleiros, abandonado e em más condições.

    Situação: listado como activo, mas inactivo desde 2006.

    Agora pensemos no que aquele casal de turistas deve estar a pensar. E ponha-mo-nos na pele dos responsáveis por aquele medo, por aquele verdadeiro terror cultural e arquitectónico. Acham que estes sentem algum calafrio quando por ali passam, se é que passam? Acham que estes ficaram incomodados de algum modo se lhes referem o estado calamitoso daquele farol? Acham que estes na hora de comer a sua cachupa estão minimamente preocupados com o facto de aquele equipamento estar em estado de quase derrocada? Acham? Eu não acho que estejam...

    Braça com pontapé na polpa "deles", para ver se acordam.
    Djack

    ResponderEliminar
  2. Eu conheço um ror de adjectivos que os responsàveis merecem ouvir mas prefiro respeitar as pessoas que por aqui passam na esperança que os "predadores" mudem de opinião.
    Braças e mantenhas

    ResponderEliminar
  3. Olá amigo,

    Mesmo maltratado o farol resiste. Assim somos nós.
    Obrigada por estar aqui.
    Lhe desejo mar de almirante.

    ResponderEliminar
  4. Garantem os responsáveis "turísticos" de Santo Antão, que restauração do farol de "Vaca" só depois do aeroporto... Para tcheu turista podê visiá a Boiada!

    ResponderEliminar
  5. Já vi uma proposta de projecto de requalificação desta zona transformando a casa num hotel. Vou ver se o encontro

    ResponderEliminar
  6. Há cerca de 10 anos ou um pouco mais do que isso, percorri o caminho pedonal que ligava Pontinha de Janela (em crioulo dizemos Puntinha de Jnela) ao Farol de São Vicente (também é assim designado, ó Jack) e pude subir à torre onde se encontrava o aparelho óptico com os respectivos espelhos. Pisei o varandim em volta, com os seus corrimãos em ferro forjado, que já estava em tão mau estado que disse à minha companheira "Se um de nôs caí dali, quel ôte tem mute exlicação pa bá da Pliça!" As escadas em ferro ou de ferro apresentavam-se ainda em bom estado de conservação, certamente porque não estavam expostas à acção do mar, ao contrário do varandim. Actualmente o acesso foi bloqueado com cimento para evitar visitantes inconvenientes e pilhagens. Ambos os edifícios, o da torre do farol e o da casa do faroleiro, que não é tão pequenina como parece na foto aqui exibida, deveriam ser preservados. Os faróis exercem sobre mim um enorme fascínio.

    ResponderEliminar
  7. Graças pelo retorno do Zito, nunca é demais dizê-lo.
    Os comentários aqui depositados são interessantes e pesco alguns para replicar.
    Afinal, não faltam nomes para o Farol. Falta é discernimento àqueles que não percebem a sua importância como património, e isto numa ilha que não tem muito disso.
    Se calhar, é isso mesmo, Artur. Estão à espera do aeroporto. Só com um aeroporto na ilha é que se fará luz em certas cabeças santantonenses.

    ResponderEliminar