quinta-feira, 17 de julho de 2014

[7184] - POEIRA DO TEMPO, SORRIDENTE...

 
1594 – Roque Lopes Castelo Branco

Esteve no Rio Grande, costa da Guiné, onde matou um elefante à facada...
Sobre isso André Alvares de Almada diz o seguinte:
“ Não deixarei de dizer aqui o que aconteceu a hum Roque Lopes de Castelo Branquo, natural da ilha de Santiago, o qual indo por este rio abaixo em hua barca, passarão dous helefantes da terra de Biseque pera Biguba a nado; elle os foi seguyndo com a buarque he chegando perto se botou a nado com hua faqua grande nas mãos, se pos sobre hum deles e lhe foi dando com faqua e abrindo com fúria do ferir … e com a matinada que fizeram os da barqua hacordirão muitos negros hao longo do Rio e ajudarão a matar o elefante em que elle hia … e outro elefante se foi (1)... Era esse Roque Lopes Castelo Branquo tão vallente homem e esforçado nas armas, que ho chamavão os negros daquellas partes SOPRACANTA, que quer dizer raio”…
….
(1) Consta que o elefante fugitivo… continua esperando sentado pela amada companheira!


Pesquisa de A.Mendes


5 comentários:

  1. Segundo o historiador Djack Beach Boat, foi a partir deste feito hercúleo que, o "badiu" começou a " andar e dar de faqua".

    ResponderEliminar
  2. Desculpa mas o senhor chama-se Djack Boat Beach...

    ResponderEliminar
  3. Invertido (nome!!!) é mais bonitinho! !

    ResponderEliminar
  4. Felizmente que o conceito de valentia evoluiu com o tempo, se bem que hoje em dia continuemos a cometer barbaridades ainda mais chocantes do que este caso de elefanticídio gratuito. O homem continua a mesma besta irracional de todos os tempos. É ver o avião de passageiros hoje derrubado. É ver o sujeito que matou ontem a mulher a golpe de machado. O ser humano não tem solução e vai um dia desaparecer do planeta sem deixar saudade nem remorso ao Criador, seja este quem for.

    ResponderEliminar