sexta-feira, 25 de julho de 2014

[7222] - ENCONTROS E DESENCONTROS...


Ministros e Secretários de Estado, Deputados e Presidentes de Câmara, Artistas, Desportistas, Jornalistas, Locutores, Médicos e Enfermeiros, Lavradores e Sapateiros, Estudantes de Todos os Níveis, Católicos e Protestantes, Homens e Mulheres, Doutores e Analfabetos, Altos e Baixos, Gordos e Magros, Ricos, Remediados e Pobres, Feios e Belos, Hetero e Homossexuais, enfim, TODOS ou quase, repetem, diariamente, que tal coisa foi DE ENCONTRO A...quando querem significar que tal coisa foi AO ENCONTRO DE...Quer dizer que dizem uma coisa desejando expressar o seu contrário!
Será que já não ensinam, nas escolas, a diferença entre uma coisa e outra? E mesmo que os professores não ensinem, por terem faltado ao exame de avaliação, as pessoas já não pensam no que dizem antes de abrir a boca em público? Acho que se devia fazer uma campanha nacional, através de todos os órgãos informativos, painéis nas auto-estradas, panfletos, circulares, posteres, filmes, etc., etc..
Nós damos a informação de partida para tal campanha, explicando que a ilustração do alto desta página, exemplifica uma situação de IR DE ENCONTRO A... A foto, abaixo, pretende ilustrar a ideia de IR AO ENCONTRO DE...As diferenças são de tal forma evidentes que não se compreende como é que há gente que ainda confunde as duas situações...



2 comentários:

  1. Venho atrasado para o comentário, mas venho. Acho que o texto e a ilustração estão bem conseguidos. Realmente, importa muito chamar a atenção para este tipo de erros.
    Há outro com que não me conformo. É muita gente com responsabilidade de comunicar com o público não saber que existe uma diferença entre "o moral" e "a moral". Com frequência, aparecem jornalistas e comentadores desportivos a dizer que "a moral" dos jogadores é alta. O problema é que o erro está quase generalizado que qualquer dia fica-se sem saber o que é gramaticalmente correcto e o que não é. Já ouvi também jornalistas pivot de telejornais ou de notícias afirmar que "a moral" dos soldados é alta. Penso que não é necessário explicar a diferença entre "o moral" e "a moral" porque a aprendi na 4ªa classe da antiga instrução primária.

    ResponderEliminar
  2. Pois é Adriano...A gente, antigamente, ía à escola para aprender...Hoje, empina-se à cata de um qualquer diploma que garanta um tacho, nem que nada tenha a ver com coisa nenhuma! Aprender já não é uma finalidade: é um luxo para os não ambiciosos!

    ResponderEliminar