domingo, 31 de agosto de 2014

[7335] - "FAITS DIVERS"...

As televisões têm o hábito de convidar pessoas das mais diversas profissões e interesses para comentar a imprensa diária...
Claro que não sabemos quais os critérios que presidem à escolha desses comentadores de ocasião mas, hoje, apareceu um que me deu que pensar. Tratava-se de alguém ligado à recente re-inauguração do Cinema Ideal, ali para os lados da Praça Camões, e que, a certa altura, calhou referir-se ao jornal Correio da Manhã...Segundo ele, trata-se de um periódico com pergaminhos firmados, credível e imparcial, pelo que estranhava o fundamento da notícia que, em primeira página, dá conta do facto de um antigo dirigente do Sporting ter vendido uma mansão de 7,5 milhões! 
Porque a jornalista de serviço não quis - ou não soube - aprofundar as razões do seu convidado, ficamos por saber se o homem, sendo sportinguista, achava mal expor assim um ex-presidente do seu clube ou, sendo benfiquista (ou portista...) se inciumava com o destaque concedido a um ex-dirigente do clube rival... Ou se achava a notícia tão pouco interessante que estranhava que tivesse guarida na capa de um jornal que ele considera de elite...
As dúvidas, essas, subsistem, porque os jornalistas das nossas televisões nunca tiveram jeito para fazerem coisas de jeito!

2 comentários:

  1. O critério para o convite desses comentadores é tão duvidoso que pouco do meu tempo perco com eles. Dizer que o Correio da Manhã é um "periódico de créditos firmados, credível e imparcial" é digno de uma notícia de 1 de Abril. No entanto, há alguns colunistas que escrevem nesse jornal e são pessoas credíveis, mas penso que isso não passa de estratégia de diversão, é como embrulhar lixo em papel de luxo. O Correio da Manhã é um jornal concebido e talhado para satisfazer uma certa faixa do público, que, por sinal, será tão vasta quanto a procura que o jornal tem. Meus senhores, aqui é que está um problema que nos devia interrogar seriamente. Tirando um ou outro artigo de opinião sério (o tal papel de luxo para enganar o pagode) todo o jornal é todo ele sensacionalismo barato (pedofilia, tiros, facadas, assaltos, roubos, miss Bumbum, miúdas desnudadas, opiniões sobre sexo, etc). Mas o pior é ser um jornal persecutório e tendencioso, o que também faz parte da estratégia do sensacionalismo. O que é que interessa ao português que o Godinho Lopes queira vender uma casa de luxo? Mas é claro que se percebe bem a intenção que subjaz à notícia. Se fôssemos dotado de um padrão superior de formação cívica e cultural, o jornal ia à falência.

    ResponderEliminar
  2. Creio que tem toda a razão, meu amigo...De resto, isso só vem provar a ineficácia dos critérios de escolha dos comentadores ou a ausência de qualquer critério...

    ResponderEliminar