sexta-feira, 6 de março de 2015

[7863] - OS SOFÁS DA PRAÇA ESTRELA...

Maia do Carmo Daun e Lorena
Meus amigos

No seguimento disto:
http://mindelosempre.blogspot.pt/2015/03/1414-enquanto-o-pdb-esta-em-pausa.html#comment-form
...e por ter visto ontem na Praça Estrela não apenas um sofá, mas também uma poltrona e um conjunto de puffs, pensei que seria engraçado dar conta da expansão do fenómeno. E assim, hoje rumei à Praça Estrela munida de máquina fotográfica. Porém, encontrei apenas um sofá (ver foto em anexo). Os puffs e a poltrona não foram vendidos, simplesmente hoje ficaram em casa...
A Praça Estrela é muito mais do que um palco de comércio. É uma arena de relações (feita também de tensões e separações) entre cabo-verdianos sampadjudos e badios, "mandjakus" senegaleses ou guineenses, para não falar de outros personagens, entre os quais os turistas. O negócio não é só de bananas, verduras, souvenirs, calçado ou electrónica. Muitas outras coisas são negociadas...
Ao conversar com o vendedor do sofá, senegalês, cuja venda fixa que tem ao lado é de artesanato, percebo que os sofás são feitos pelo seu irmão, aqui mesmo em S. Vicente. Também percebo outras coisas, quando aparecem duas mulheres cabo-verdianas que, numa postura séria e firme necessária na economia informal, têm ouro ("português e italiano") para vender e tentam regatear com ele o preço, insistindo que quanto ao peso não têm dúvidas porque não é só ele que tem uma balança, elas também têm uma, que compraram em Portugal!!! (como quem diz "Ora toma mandjaku convencido! Sabes lá tu o que é a Europa!")
E é assim. Pequenos fragmentos da Praça Estrela...
Braça pa tud gente,
Carmo


3 comentários:

  1. Praça Estrela que fora antes Salina com campo de futebol e estrado de cricket,
    de jogadores e de batoteiros, com História e estórias, contáveis e incontáveis.
    Diazá que foi lugar de saburas, vendeiras de doçuras, de gentes más e amáveis.
    Dali saía tudo, do bom e do menos bom, com e sem humor, capoeira ou foguete.

    Bocis tude sabê
    Braça de sodade

    VALDEMAR PEREIRA (e.mail)

    ResponderEliminar
  2. Rica colaboração esta da Maria do Carmo que nos esclarece melhor sobre a loja de móveis ao ar livre da Praça Estrela. O que é divertido é que tanto na fotografia colocada no Pd'B como nesta do Ac'A parece que o mobiliário foi ali largado para uso dos transeuntes, visto que em ambas o dono não está. Por este andar, qualquer dia chega lá e os sofás e maples voaram, ahahahah.

    Braça para a fotógrafa e comentadora,
    Djack

    ResponderEliminar
  3. Bem vinda é a Maria do Carmo a este espaço. A Praça Estrela é hoje essa realidade que ela aqui traça em duas pinceladas.
    A única observação que faço é que os sofás parecem confortáveis.

    ResponderEliminar