terça-feira, 10 de março de 2015

[7877] - DÚVIDAS DA LÍNGUA PORTUGUESA...


A língua portuguesa é fértil em áreas de dúvida gramatical que ninguém parece preocupado em resolver definitivamente, ao passo que houve pressa em decidir sobre a questão do Acordo Ortográfico, objecto de muitas dúvidas e reticências.
Essa questão das dúvidas gramaticais é transversal e não deixa ninguém de fora. Há uns 20 anos, a Agustina Bessa Luís, numa entrevista, disse que tinha muitas dúvidas e que a consulta de dicionários e prontuários é algo a que se vê obrigada constantemente, não obstante a sua longuíssima prática de lidar e trabalhar com a língua.
Sucedeu-me que, há dias, quis escrever a palavra “encarnação” e de repente perguntei-me se não seria “incarnação”. Algo no meu subconsciente dizia-me já ter visto a segunda grafia. Para tirar a dúvida, fui ao Ciberdúvidas da Língua Portuguesa, e encontrei, entre outras respostas dúbias, a seguinte situação vivida por uma senhora muito letrada e que passo a transcrever:
“Eu bem tento ler um livro pelo seu conteúdo, deixar-me absorver pela informação que estou a retirar da leitura. Mas, a cada passo, vejo-me obrigada a parar e a questionar-me sobre o uso da língua que o autor ou o tradutor faz. Por mais interessante que seja o assunto (e é!), não consigo evitar distrair-me com o português! É o mal da minha profissão...
Desta vez, fiquei perplexa com o facto de, na mesma página do livro que citei no desafio de ontem, aparecerem duas variantes da mesma palavra:
Muhammad Yunus incarna antes de mais o ideal híbrido [...].
Estes alter-empresários [...] não se manifestam para reclamar a mudança, encarnam-na e provocam-na.
Como se não bastasse, na página seguinte ainda li:
Então incarnemos o desenvolvimento sustentável nos exemplos de sucesso [...].
...e achei que deveria ter a humildade de ir verificar se o verbo “incarnar” não existiria mesmo, ao contrário do que eu pensava. O resultado na Mordebe foi “palavra não encontrada”. Porém, e depois de a Infopédia me ter aconselhado a verificar a ortografia da palavra incarnar, que também não constava da base de dados, pasmei quando abri o dicionário on-line da Texto Editora, que apresentava incarnar como variante de encarnar (na verdade, o verbo em latim começava com i).
Agora ficam-me duas perguntas: por que razão aqueles dicionários não apresentam a mesma informação em relação a este item? E por que motivo o tradutor do texto resolveu usar alternadamente uma e outra grafia?
E depois admiram-se que eu só leia uma página do livro por dia!!”

                                      Adriano Miranda Lima




Sem comentários:

Enviar um comentário