sábado, 4 de abril de 2015

[7963] - RECADO PARA O SR. PRESIDENTE DE CABO VERDE...


Senhor Presidente, pessoa que eu tive o prazer de conhecer, permita-me trazer até si este post com as minha análise da situação actual e um diagnóstico e propostas de soluções. Reconhecemos, ( o Movimento para a Regionalização de Cabo Verde), o esforço que tem feito em alertar a sociedade para a necessidade de Mudanças, manifestando assim a sua abertura às diferentes propostas de Reforma da sociedade civil. Como sabe, o regime tem respondido com manobras dilatórias e atirou para as calendas gregas (numa de atirar para o próximo a batata quente) o ónus desta Magna discussão em torno das Reformas que propomos para CV que vão para além da Regionalização. O Senhor Presidente sabe, mais do que qualquer um, que cabo Verde está numa encruzilhada e que estamos no fim de um Ciclo, o ciclo que começou com a independência e que  prosseguiu devido às condições internacionais que estão a mudar rapidamente. Este ciclo caracterizou-se por ajudas externas da solidariedade dos amigos e continuou com o acesso ao dinheiro fácil, aos créditos. Mas Cabo Verde não produz quase nada e terá que encontrar uma via neste mundo global, que é vender aquilo que pode. Como nos apercebemos, se nada for feito entraremos em convulsões sociais pois começaremos a gastar mais do que aquilo que nos dão e um dia só poderemos gastar aquilo que produzimos e é esta a verdade que os cabo-verdianos desconhecem: os jovens aspiram ao trabalho e salário condigno. É necessário criar postos de trabalho em CV e empresas exportadoras para gerar riqueza no país. Mas o  espectáculo de pessoas que singraram na vida à custa do Sistema, não bate certo com o resto do país que se sente deixado à margem. Pois temo que Cabo verde vá ser uma das vítimas colaterias da globalização e de um Mundo em rápida transformação se ele não se adaptar a ela. Meter a cabeça na areia e avançar ou andar a assobiar para o lado é pior emenda do que o soneto, não é solução . Se os cabo-verdianos não se reformarem e não reformarem o sistema que foi montado, serão vítimas deles mesmos, da sua própria incúria. Junto, em anexo, um conjunto de reflexões se achar útil.

José Fortes Lopes


Jorge Carlos Almeida Fonseca
3/4 às 21:12

Muito grato sua mensagem e sugestões. Sao motivo e elementos reflexão. Bom fds

1 comentário:

  1. O Presidente pode ouvir, José, e acredito que ouve e tem em conta o teor do teu recado. Mas, coitado, pouco ou nada pode fazer no regime de poder em que ele exerce o seu cargo. Por isso, faz todo o sentido reformar de alto a baixo o sistema.

    ResponderEliminar