segunda-feira, 27 de abril de 2015

[8075] - OLHAR AS COISAS DE LONGE...

A África tem grandes responsabilidades no drama que se vive no mar Mediterrâneo, com os milhares de africanos que procuram a Europa para melhorar a sua qualidade de vida, disse este Sábado,25, o Primeiro-Ministro, José Maria Neves.


José Maria Neves defendeu que há necessidade de se intensificar o diálogo entre os dois continentes, mas os governantes africanos têm de combater as causas pelas quais milhares de africanos acabam por morrer afogados ao atravessarem o Mediterrâneo em barcos sem condições e apinhados.

“África tem grandes responsabilidades. Para resolvermos o problema precisamos de um intenso diálogo entre os países africanos e a Europa. Mas temos de combater as causas. O facto de os africanos estarem a afogar-se no mediterrâneo deve interpelar todos: governantes, dirigentes e as forças vivas de África”, declarou Neves que falava na abertura do simpósio "África e Desenvolvimento Sustentável".

Recorda-se que a situação trágica no Mediterrâneo, com a morte de 800 imigrantes africanos que tentavam entrar na Europa, no passado dia 19, levou os líderes da União Europeia (UE) a adoptarem um plano de dez acções para travar o tráfico de seres humanos nas rotas da emigração clandestina para a Europa.

(Sugerido por Valdemar Pereira)

2 comentários:

  1. Afirmações óbvias do Primeiro-Ministro de Cabo Verde. É claro que se retrocedermos na História veremos que há grandes e intransferíveis responsabilidades que são pertença única da Europa. Mas evidentemente que nas últimas décadas o grosso das responsabilidades primárias cabe à estirpe de dirigentes que a África tem tido. Mas mesmo aí a Europa e o Mundo Ocidental continuam de consciência pouco limpa, porque enredados numa teia de obscuros compromissos que dificilmente os ilibam moralmente. Basta lembrar os ditadores de triste memória que tiveram toda a cobertura da Europa em negócios nebulosos e ruinosos para os desgraçados povos africanos enquanto os caudilhos amealhavam milhões em cofres europeus. Basta lembrar que a "primavera árabe", apoiada e patrocinada pelo Ocidente, é neste momento a causa indirecta da vaga de africanos que fogem da África para morrerem no Mediterrâneo. O cinismo e a torpeza humana se conjugam para semear a desgraça neste mundo. Eu por mais de uma vez manifestei a opinião de que certa África não tem qualquer solução política enquanto não se mergulhar no fundo dos problemas mundiais. A África jamais terá uma solução condigna enquanto o mundo como um todo não sofrer uma reconfiguração da sua filosofia política e existencial.

    ResponderEliminar
  2. Adriano
    Falaste como um verdadeiro PM indo ao fundo do problema. O resto é conversa da treta

    ResponderEliminar