sexta-feira, 1 de maio de 2015

[8096] - QUANDO O IMPOSSIVEL ACONTECE...

Lucy Truman, uma californiana funcionária de uma estação dos correios, um dia, em vez de usar, como sempre, a esponja humedecida, fechou alguns envelopes recorrendo à sua própria saliva...Nessa noite, constatou que havia provocado um ligeiro corte na língua e, poucos dias mais tarde, descobriu que a tinha um tanto inchada...
Pelo sim, pelo  não, foi ao médico que, depois de a observar declarou não ter encontrado nenhuma explicação para o inchaço...O pior é que, mais alguns dias decorridos a língua de Lucy já se tinha inflamado de tal modo que ela mal podia comer.
De volta ao médico, este tirou-lhe uma radiografia  e, tendo detectado uma protuberância estranha, resolveu submeter Lucy a uma pequena cirurgia para verificar do que se tratava...Lancetada a tal protuberância, dela saltou, imagine-se,  uma...barata, viva!
Havia, pois, ovos de barata na cola dos envelopes que, dias antes, Lucy tinha fechado com a sua saliva e algum havia eclodido graças à humidade e calor presentes na língua dela...
John Morgan, funcionário de uma fábrica de envelopes aconselha a que ninguém os feche recorrendo à língua, pois ninguém imagina sequer a quantidade e variuedade da bicharada que, constantemente, ataca os reservatórios da cola usada nos envelopes...
Patrick Sullivan nunca tinha compreendido porque razão, quando foi trabalhar para uma tipografia, lhe fora recomendado que "nunca lambesse a cola de um envelope" até ao dia em que foi ao armazém buscar uma caixa com 2.500 envelopes para impressão: a caixa continha centenas de baratas...que se alimentavam da cola seca dos envelopes e ali depositavam os seus milhões de ovos!
Não há dúvidas: por vezes, o impossível acontece!

(E.mail-Valemar Pereira)


Sem comentários:

Enviar um comentário