domingo, 17 de maio de 2015

[8159] - POEIRA DO TEMPO...

(Foto Clube Matiota - p.i. de José F. Lopes)

Tempos atrás, o Fortim d'El-Rei, sobranceiro à Baía do Porto Grande, era assim...Não sei se muitos mindelenses se recordarão desta imagem já que, ao que parece, o velho ex-libris da cidade do Mindelo está, também este, reduzido a escombros, numa demonstração de desrespeito pela memória histórica que vai levando à pratica de actos do mais abjecto sectarismo, uma espécie de tentativa de rotura com um passado que, não tendo sido perfeito não pode, nem deve, ser ignorado, como se jamais tivesse acontecido!
Esta imagem foi colhida no FaceBook, de onde respingamos os comentários que se seguem:

Antonio Graça - É o local com a melhor vista da cidade do Mindelo. Como sabemos funcionou como Prisão na época Colonial. Já há quem lhe chame de lugar assombrado. Credo....

Joao E Iraci MG - O meu lugarzinho preferido!
Bem cedinho ou a tardinha, principalmente, aos domingos e/ou feriados, para apreciar o meu querido Mindelo! Uma vez ou outra, observava a saida do Porto Novo para Porto Novo! Depois de duas decadas vejo nesta foto algum efeito erosivo ou descuido na preservacao!  PACIENCIA!

José Fortes Lopes - Um Fortim com toda a sua encosta tratatada embelezada com árvores e flores, poderia ser um Museu com um grande restaurante com a vista para toda a baia... Já é só ruinas! Cabeça que não param para pensar a ilha...

Arsenio Pina - Seguramente, Zé, mas interesses mais elevados se alevantaram e começaram por o destruir parcialmente e pararam, devido à crise, ficando o Fortim num pardieiro. Essa malta não tem sensibilidade nenhuma; só conta o numerário e desconhecem o interesse e valor da memória histórica.

2 comentários:

  1. Deixar ruir um Forte várias vezes centenário, sem nenhum respeito ao seu passado e à Cultura é, além do mais, um acto selvagem. Mais razões podiam ser citadas mas ficam para outra oportunidade pois virá o dia em que falaremos de algumas figuras irresponsáveis que serão julgadas pelo Povo pelos danos causados e que serão sempre lembrados a cada vez que os nossos olhos passarem por esse lugar e o aspecto imundo que se nos apresenta. Ninguém ficará impune na História. Ê simplesmente uma questão de tempo.

    ResponderEliminar
  2. Eu, outra vez.

    Antes de ser prisão o Fortim del-Rey foi Quartel da tropa local e depois foi ocupado pelas Forças Exedicionàrias durante a Segunda Guerra. So depois dos militares o terem abandonado é que passou a ser Prisão.

    ResponderEliminar