quinta-feira, 20 de agosto de 2015

[8399] - DESMENTINDO O DESMENTIDO...

Os trabalhos de demolição no edifício do Éden Park dizem respeito à primeira fase das obras para implementação do projecto de remodelação do espaço. A relevação é do arquitecto Carlos Hamelberg, que nega qualquer desvio à lei, e contraria a informação avançada pela curadoria do Mindelo, que garantia ontem que se tratava, apenas, da demolição do muro exterior, por questões de segurança. 

N.R. Esta roda-viva de afirmações, desmentidos e, por aí fora, até ao enjôo final, faz recordar aquele ditado: "Casa onde não há pão (leia-se vergonha) todos ralham e ninguém tem razão!"...

...E O QUE PENSA O JOSÉ FORTES LOPES?!

EDEN PARK
A saga das informações contraditórias continua.
Neste momento é preciso tomar tudo com muita precaução e cuidado.
Como Marina Ramos esclareceu À Rádio Morabeza no dia 19/8 não se ia tocar no edifício. A Curadora do Mindelo garantia que a demolição que está a decorrer no edifício do Éden Park é referente, apenas, à parte da esplanada. Segundo Marina Ramos, o edifício vai ficar como está.
“As demolições acontecem apenas na parte da esplanada que vinha sendo totalmente vandalizada. Não se vai tocar no que todo o mundo temia, não se vai tocar no edifício”, assegurou.“A Câmara não aprovou o projecto, não há nenhuma coisa referente à alteração do edifício. Nós também não aprovámos coisíssima nenhuma. A intervenção só é referente à esplanada. A curadoria vai estar atenta a qualquer coisa”, reforçou.
Agora o arquitecto Carlos Hamelberg vem dizer que "O projecto foi aprovado pela Câmara Municipal....De resto, não há nada de anormal. A primeira fase contempla a área comercial e a esplanada e a outra parte é a do edifício". Segundo ele " não há uma lei de regulamentação da área circunscrita do património. Se houvesse alguma lei que limitasse, alguma directriz que servisse de condicionante ao projecto, seria respeitada, só que não há nada”, apontou
Primeiro ele bem sabe que a CMSV não pode estar acima da Lei, ela tem que respeitar a lei. Dizer que não há uma lei de regulamentação da área circunscrita do património é pura má fé ou cinismo, se todos sabemos que foi o próprio Ministro que em sessão solene veio apresentar a Lei que protege o Centro do Mindelo contra os apetites vorazes. O Eden Park e a área onde pretendem construir o Mastodonte estão protegidos pela Lei. Não podem tocar nem num fio de cabelo de todo o Edifício que inclui explanadas etc. A táctica de mexer aos poucos, abatendo aqui e ali, no sentido de ir roendo tudo e ir soprando, contornando alegremente a lei é inaceitável. Não adianta tentar contornar a lei. Esta área está protegida contra demolições selvagens e construções contra-natura e nem parecer favorável do Instituto do Património Cultural (IPC) (que poderia ser impugnado em Tribunal) poderá salvar o projecto da demolição e construção do Mastodonte. O arquitecto e a CMSV bem sabem isso. 
Por isso a CMSV só pode aprovar obras no quadro da Lei pois a CMSV não tem jurisdição sobre S. Vicente e tudo o que esteja sob alçada do Estado é para respeitar. São assim as leis actuais. Amanhã pode haver uma lei que diz que a Câmara ou o governo regional é responsável de tudo o que há na ilha, mas por enquanto não é assim.

Reparem que ninguém é contra a requalificação do Eden Park mas o projecto do arquitecto Carlos Hamelberg é inaceitável.

2 comentários:

  1. Pequeno excerto da carta escrita pelo Eden-Park à Srª.. Curadora:

    ..." Já que lhe falta poder (ou sincero querer) para curar minhas feridas ... por favor, continue de olhos vendados e deixe que acabem comigo de vez... Mil vezes prefiro morrer a ter de carregar nos meus velhos e doridos ombros, o peso daquele monstro anil...
    Não mereço tamanha afronta..."

    ResponderEliminar
  2. .

    . e a Câmara continua muda e não muda.

    .

    ResponderEliminar