domingo, 31 de janeiro de 2016

[8864] - NEM OITO, NEM OITENTA...

A Semana
29 Janeiro 2016
“O compromisso do MpD é ter um Governo Regional em Santo Antão, que defina a sua própria estratégia, as metas, os objectivos económicos e sociais a alcançar, para despoletar o seu processo de desenvolvimento real e responsabilizar(-se) politicamente perante os resultados”, prometeu Ulisses Correia e Silva esta quinta-feira (28), na Ribeira Grande.Ulisses Correia e Silva: “Santo Antão vai ter seu Governo Regional”

O presidente do MpD disse que o compromisso dos ventoinhas é ter um Governo para cada ilha de Cabo Verde: “Essa é a nossa visão sobre a regionalização do País”, esclareceu durante a cerimónia de apresentação da lista de candidatos por Santo Antão às Legislativas de 2016.

Perante algumas centenas de militantes, simpatizantes e amigos do MpD que, vindos dos três Concelhos da ilha de Santo Antão - Porto Novo, Paul e Ribeira Grande -, se juntaram para o ouvir no Centro Agrícola de Afonso Martinho na Ribeira Grande, Ulisses Correia e Silva afirmou: “Esse desejo, não significa querer mais carros ou mais ‘Jobs for the boys’ para os políticos. Mas sim fazer com que cada ilha comande o seu próprio destino, integrado no todo nacional”.

Hoje se perguntarem a alguém, quais são as expectativas da ilha das Montanhas, ninguém sabe responder, alega o presidente dos ventoinhas. “Não sabem dizer se há compromisso com o seu crescimento económico, com a sua taxa de desemprego, com a redução da pobreza e com a melhoria dos indicadores de saúde. Ou se há algum compromisso em criar um ambiente empresarial favorável para o seu desenvolvimento económico, ninguém sabe responder”, exemplificou.

“Com cada ilha um Governo Regional, vamos criar a intersectorialidade, que permita que a responsabilidade seja identificada. Não é só uma questão de responsabilização mas também de motivação, porque vai criar condições para trazer mais técnicos da ilha para Santo Antão. Eles vão induzir directamente o desenvolvimento e criar condições de serviços de proximidade mais eficientes”, asseverou Ulisses.

O presidente das ventoinhas aproveitou para refutar toda a argumentação acerca do aumento de despesas com Governos Regionais. “Fala-se muito em aumento de custos. Pelo contrário, a regionalização vai aumentar proveitos, o investimento e melhores condições para criar riquezas e desenvolvimento. Para além de se passar a olhar para Santo Antão baseado na sua realidade e suas potencialidades, no contexto de desenvolvimento nacional”, advogou.

O candidato a primeiro-ministro fez questão de apresentar algumas das linhas-mestras do seu programa de governação, caso for eleito nas Legislativas de 20 de Março próximo. De entre elas, destacam-se: “formar um Governo apenas com 12 ministérios; taxa de imposto ‘0’ para todas as micro, pequenas e médias empresas; transferir as taxas ecológicas e do turismo para as Câmaras Municipais e despartidarizar a maquina administrativa do Estado”, prometeu Ulisses Correia e Silva.

O presidente do Movimento para a Democracia deixou Santo Antão na manhã desta sexta-feira ( 29), rumo à ilha vizinha, para fazer a apresentação da lista de candidatos a deputados da AN pelo círculo eleitoral de São Vicente, nas Legislativas de 20 de Março de 2016.

MN

3 comentários:

  1. Ê preciso "oie na melom" porque na época de eleições prometem tudo. Para jà temos a esperança de que algo precisa mudar, o que não queriam.

    ResponderEliminar

  2. E isso mesmo, Val. No mínimo, temos de reconhecer que finalmente aparece algo diferente no discurso político. E isto tem de ser elogiado. Resta saber o que propõem de concreto para viabilizar o processo de implementação da regionalização. Será importante saber se pode realizar-se à margem da reforma total de que o país precisa, tendo a regionalização como algo inclusivo e meta final a atingir. Significa, em suma, saber se a casa se constrói a começar pelo tecto ou a fundar-se em alicerces seguros. Também importará saber se o modelo região-ilha é o modelo final ou se pode vir a evoluir para uma forma de regionalização que aglutine ilhas afins para uma melhor exploração de potencialidades sinérgicas. Escuso dizer que prefiro região-ilhas.

    ResponderEliminar
  3. Muito bem dito amigos: muita atenção oi viv na melon

    ResponderEliminar