terça-feira, 8 de março de 2016

[8986] - DIA INTERNACIONAL DA MULHER...


Causa-me alguma perplexidade esta coisa de se comemorar a mulher numa data em que, supostamente, umas tantas terão perecido em acidentes provocados para punir atitudes reivindicativas, logo, subversivas, de algumas centenas de operárias fabris, nos Estados Unidos e na Rússia como se fosse coisa natural, metade da raça humana ter que lutar para ocupar na sociedade o lugar que a própria natureza lhe reserva e outra metade lhe negava e, infelizmente, continua a negar, aqui e ali, num mundo que cada vez mais se afasta da perfeição...
Estas datas deveríam, ao contrário, servir como momentos de penitência para todos quantos, no passado, no presente e no futuro, por acção ou omissão, obrigaram e obrigam as mulheres a lutar por algo que lhes pertence e por direito de existência!

2 comentários:

  1. Discordo plenamente porque todo o dia é DIA DA MULHER.

    Ê inaceitável que, em pleno Século XXI, não haja - em tudo - a igualdade mas, lá chegaremos, em breve. Ê justiça
    Mas apesar de muita injustiça, connosco a MULHER tem melhor vida, o que não sucede com os de culto muçulmano. Transcrevo as palavras de uma jornalista francesa, Zineb el Rhazaoui, aquando de uma reunião sobre os direitos de expressão:
    - "Digo sem medo que não tenho respeito nenhum pela religião na qual nasci, onde, como mulher sou mais que nada, não tenho direito de testemunhar se assistir a uma morte, só tenho a metade de herança e, se disser que sou ateia, devo ser degolada".
    Zineb vive sob alta protecção policial por querer os seus direitos.

    ResponderEliminar
  2. Comecei a comentar a partir dos posts mais à frente, pelo que reitero as minhas palavras já proferidas. Além dos direitos das mulheres, haja também mais atenção à sua segurança no seio dos lares precários. A violência doméstica tem aumentado assustadoramente em Portugal, com homicídios a uma escala sem precedentes.

    ResponderEliminar