domingo, 24 de abril de 2016

[9155] - A DIÁSPORA DISCUTE REGIONALIZAÇÃO...


Notas biográficas dos oradores

Adriano Miranda Lima nasceu em S. Vicente, tem 72 anos, e concluiu o ensino secundário no Liceu Gil Eanes em 1963, após o que ingressou no exército, seguindo a carreira militar. É coronel na reserva. Casado, vive em Tomar, é pai de duas filhas e avô de dois netos. Interessa-se pelos problemas da sua terra natal e nesse sentido tem intervindo na imprensa e em blogues cabo-verdianos, emitindo opinião sobre temas da actualidade. Intervém também no jornal "O Templário", de Tomar, e já colaborou em órgãos de comunicação militares e vários jornais cabo-verdianos.

Arsénio Fermino de Pina, nascido na Vila da Ribeira Brava, S. Nicolau, fez a primária na Vila, o início do secundário no Liceu Gil Eanes, em S. Vicente, Moçambique e Lisboa. Licenciou-se em Medicina em Coimbra e Lisboa e fez a especialização em Pediatria, Saúde Pública e Medicina Tropical em Lisboa. Generalista em várias ilhas de Cabo Verde. Após a independência foi o criador, corroborado pelo colega Dr. Pedro do Rosário, do Projecto/Programa da PMI/PF, como director nacional do mesmo. Integrou as Nações Unidas, OMS, como conselheiro técnico em PMI/PF, trabalhando em vários países africanos, durante dez anos, até à idade da aposentação internacional. Co-fundador da Academia de Estudos de Ciências Comparadas (AECCOM). Publicou dez livros, além de textos da sua especialidade, e tem colaboração diversa em vários jornais e revistas nacionais e estrangeiros. Aposentado, vive com a família alternadamente em S. Vicente e Lisboa.

José Fortes Lopes é Professor na Universidade de Aveiro, na área da Física da Atmosfera e dos Oceanos. Realiza investigação em oceanografia física costeira e ambiental no CESAM, Centro de Estudos do Ambiente e do Mar, Laboratório de Estado na área das Ciências do Mar.
Desde 2006 vem-se preocupando com diferentes problemáticas cabo-verdianas e exercendo actividades cívicas em prol do desenvolvimento da sua ilha natal, S. Vicente e de Cabo Verde. É um dos fundadores do Movimento para a Regionalização de Cabo Verde associado ao Grupo de Reflexão para a Regionalização sediado em Mindelo. Tem várias dezenas de publicações versando sobre diferentes aspectos da problemática do desenvolvimento da ilha de S. Vicente e de Cabo Verde, nomeadamente o Património, a Sociedade, o Ambiente e o Clima e, por fim, a Regionalização. Recentemente tem tido uma intensa actividade e intervenção no debate nacional sobre a Descentralização, Democratização e a Regionalização de Cabo Verde.


Luiz Andrade Silva nasceu em Cabo Verde tendo emigrado para França em 1968. Sociólogo e historiador, é um dos fundadores e activista do movimento associativo cabo-verdiano em França. Membro do Comité de Redacção da revista Latitudes editada em Paris, publicou vários estudos sobre a emigração cabo-verdiana em revistas francesas como a Lusotopie e em jornais caboverdianos entre os quais Terra Nova, Horizonte, A Semana, Liberal, Expresso das Ilhas. A ele se deve a reedição em Paris do Folclore Caboverdiano, de Pedro Monteiro Cardoso, com prefácios seu e de Alfredo Margarido, que propõe uma nova leitura da literatura cabo-verdiana. É co-autor do livro Odisseia Crioula, e participou no livro Cabo Verde – três décadas depois, organizado por Jorge Carlos Fonseca (2007). Em 2015 publicou Crónicas da Terra Longe (edição de Chiado Editora, Lisboa, Portugal), uma colectânea de textos e ensaios sobre a emigração, cultura, desporto, economia e vida política de Cabo Verde. Tem poemas em português e em cabo-verdianos dispersos em várias revistas e que, musicados por Jovino dos Santos, foram reunidos num CD intitulado EX-Ilhas.

1 comentário:

  1. Desejos de muito sucesso para os nossos caros palestrantes! Que o debate traga mais achegas, bases de entendimento e pistas para um assunto tão importante e na ordem do dia.
    Abraços

    ResponderEliminar