sexta-feira, 13 de maio de 2016

[9201] - E, AGORA, DILMA ?!...


No Brasil, as sucessivas ressacas das últimas marés trouxeram para as praias da política doméstica toneladas de equívocos, contradições, insultos, ódios e outros subprodutos da baixaria social, difícil de compreender numa democracia que já se sentia consolidada mau grado a proliferação da chamada "propina" a toda uma panóplia de sanguessugas do dinheiro fácil percorrendo a sociedade brasileira de norte a sul, de este a oeste... 
Cumprida toda uma intrincada tramitação legal (?),  Dilma acaba com seu mandato presidencial suspenso, diz-se, por seis meses, enquanto outras instâncias vão, agora,  julgar da justiça ou da injustiça do impedimento... Vai ser uma longa travessia do deserto com as inevitáveis barrelas da roupa suja de todos os meridianos políticos, guerras de palavras, de conceitos, de sensibilidades de que, necessariamente, resultarão vítimas, mais ou menos chamuscadas pelas labaredas das convicções e dos mais ou menos inconfessáveis interesses doutrinários, mau grado o ornamento dos grandes discursos repletos de belas palavras mas vazios de qualquer substância...
Dilma confessa-se inocente, embora não descarte a probabilidade de ter cometido erros e, aqui, voltará a funcionar a velha máxima romana de que, à mulher de César não basta ser séria: tem que parecer se-lo!
Daqui a seis meses - ou menos - estará ela menos fragilizada para retomar as rédeas do poder sem grandes contestações?
Não dependerá só dela mas, também, do actual executivo, cujo chefe, no entanto, não parece à altura dos desafios que o país enfrenta... Desejamos, de todo o coração, que nossos irmãos das terras de Santa Cruz consigam dar a volta a este intrincado imbróglio, mas há que reconhecer que os tempos que se avizinham não vão ser isentos de perigosos escolhos a fazerem apelo a todas as forças, de todos os brasileiros, na reconquista da serenidade política e da paz social, pilares do desenvolvimento...
Assim seja!

4 comentários:

  1. Simplesmente lamentàvel o que sucede no Brasil. Por ou contra? Não pronuncio. Mas lamento que tenham deixado o pais chegar a esse ponto ?

    ResponderEliminar
  2. Causa imensa perplexidade e pena ver esta situação a que chegou o Brasil. Não estou lá e é-me difícil fazer um julgamento pessoal sobre a justeza ou não deste processo, mas que dizer quando os que agora se põem em bicos de pés estão também sob a alçada da justiça?

    ResponderEliminar
  3. Faço das vossas palavras minhas: perplexidade.
    No reino da corrupção, a 2ª Sodoma que Deus criou, quem é menos corrupto que atire a primeira pedra.
    Isto cheira-me a conspiração ou senão é a prova mais provada de hipocrisia em política.
    País que nasce torto nunca terá concerto.

    ResponderEliminar
  4. Tenho me manifestado contra a quebra dos direitos democráticos no cafeebolinho. Já começamos oc extinção do ministério da cultura e 21 ministros, sem representação de mulheres, negros, indios, emfim minorias.

    ResponderEliminar