domingo, 22 de maio de 2016

[9236] - PAICV INICIA "COBRANÇA"...

A líder do partido que tanto prometeu em quinze anos de poder, quer que o executivo de Ulisses Correia e Silva faça para “amanhã” o que o PAICV não fez durante uma década e meia. No entanto, a estratégia de Janira Hopffer Almada é arriscada e pode virar-se contra o próprio partido tambarina...


Pese embora ter anunciado uma “oposição construtiva”, Janira Hopffer Almada deu já um sinal da estratégia tambarina para esta legislatura: “cobrar” do governo, mesmo antes do chamado “período de graça” ter terminado. Nesse sentido, a líder do PAICV sublinhou o “distanciamento” do executivo de Ulisses Correia e Silva, sugerindo que, ao constar do Programa do Governo que serão feitos “estudos prévios” à execução das obras de edificação dos aeroportos da Brava e de Santo Antão, o chefe do executivo estaria a faltar aos compromissos assumidos durante a campanha eleitoral.

O argumento de Janira não deixou de ser visto com “estranheza” por parte do partido da maioria, já que “antes de se avançar com as obras, qualquer governo responsável terá de realizar estudos e mobilizar recursos financeiros”, sublinhou ao nosso jornal uma fonte do grupo parlamentar do MpD, adiantando que “o partido [PAICV] que se fartou de prometer aos caboverdianos e não cumpriu não tem autoridade nem legitimidade para cobrar deste governo seja o que for”.

Aliás, é decorrente desta estratégia tambarina que os deputados José Sanches (ver aqui) e Nuías Silva  começaram já a “cobrar” do governo aquilo que o PAICV não realizou em quinze anos de governação, nomeadamente, em matéria de “pendentes” dos professores e da melhoria dos serviços da Administração Pública. Uma estratégia que, segundo observadores, “é perigosa, pois pode virar-se contra o próprio PAICV”, sublinharam.

Ao contrário das avisadas palavras de Pedro Pires, que sustenta dever-se "dar tempo" ao governo, Janira Hopffer Almada parece não ter aprendido com o discurso agressivo que foi sua tónica na campanha eleitoral (e derrotado nas urnas). A líder do PAICV parte para o ataque sem o executivo de Ulisses ter ainda "aquecido" o lugar. -(in Cabo Verde Direto)

Redação

Sem comentários:

Enviar um comentário