domingo, 22 de maio de 2016

[9237] - RECONTAR OS HERÓIS...

Todos os que não reunirem condições para usufruírem desse estatuto serão excluídos. O anúncio foi feito por Fernando Alísio Freire no final de uma reunião com o presidente da ACOLP...


O ministro Adjunto do Conselho de Ministros, Fernando Elísio Freire, disse à Inforpress que o governo vai analisar a lista de Combatentes da Liberdade da Pátria, por razão de esta incluir nomes que ali estão indevidamente assinalados. O anúncio foi feito à saída de um encontro com o presidente da Associação dos Combatentes da Liberdade da Pátria (ACOLP), Carlos Reis.

Nesse sentido, Fernando Elísio Freire disse que, decorrente do aproveitamento da inclusão de pessoas que não reúnem condições para usufruírem do estatuto de “combatentes”, o executivo vai agir para fazer as correções à lei que entender por necessárias, nomeadamente excluindo aqueles que figuram indevidamente na lista.

Por sua vez, o presidente da ACOLP disse que o estatuto foi já revisto, a pedido da própria associação, antes da tomada de posse do atual governo, aguardando apenas a análise da Assembleia Nacional.

Não comentando as declarações de Freire, no sentido de rever os nomes que se encontram na lista, Carlos Reis realçou a disponibilidade do novo executivo em colaborar com a associação “O senhor ministro, no encontro que teve com a associação, manifestou a disponibilidade do governo em continuar a assumir os compromissos conquistados, como em colaborar em tudo quanto diz respeito à aplicação e concretização dos direitos dos combatentes”, disse o presidente da ACOLP.

Redação - Cabo Verde Direto

2 comentários:

  1. Espero que isto seja o prelúdio de muitas outras reacções sensatas que engrandecem quem decidiu tomà-las e, sobremaneira, a nossa terra. O nosso maior desejo é que, um dia, o Povo reaja abrindo um "tribunal" para julgar os usos abusos que mancharam Cabo Verde.

    ResponderEliminar
  2. É tempo de pôr ordem nisso.
    É preciso clarificar o conceito de combatente pois senão ninguém se entende. Distinguir quem esteve no mato da Guiné/quem esteve nas fileira do Paigc na cladestinidade, dos que andaram nas ruas de Mindelo e Praia a puxar as calças dos 'reaccionários' e a mostrar excesso de zelo e serviço etc, a partir de Julho de 1974. Pois parece que há muitos que estavam do outro lado da barricada e que de repente viraram a casaca em meados de 74 e por milagre tornaram os mais ferrenhos paigcista. Como é possível que um punhado de 30 pessoas tenha engendrado por acção do espírito santo 10 vezes mais? Para além de mais, há muita gente que cometeu crimes. Portanto este período é para tomar com pinças e um dia vai ser necessário abrir este livro.

    ResponderEliminar