sábado, 16 de julho de 2016

[9460] - NA ESCOLA...


Jantinha? Esta foi cruel demais ....

Eu detesto rir-me dos alunos... E acho que, às vezes, até quando erram, eles são criativos.
Vejam a pérola que um amigo mandou...
 "Queridos amigos, estudiosos da língua portuguesa e fotógrafos de plantão ... Esta eu tinha que contar a vocês.

Naquele exercício escrito, a pergunta de gramática era: “Qual a função do apóstrofo?” (Para quem não se lembra, apóstrofo é aquele "risquinho" que serve para suprimir vogais entre duas palavras. Ex: caixa d'água...).

E a resposta e vencedora, com direito a troféu e outros que tais, foi:"

(Colab. Adriano M. Lima)


4 comentários:

  1. Digamos que se trata de linguagem de quem não sabe linguajar... A mim, nem me dá vontade de rir. Divertida, divertida mesmo é a conversa sobre o mesmo assunto entre o médico rural João Semana e o reitor em "As Pupilas do Senhor Reitor", de Júlio Dinis:

    E dizendo isto, pôs-se a caminho, achando-se, dentro em pouco, a distância
    já considerável das residência.
    De repente, como se lhe ocorresse uma lembrança cuja comunicação não
    podia sofrer demoras, voltou de novo atrás, e elevando a voz:
    — Ó abade, tu não sabes a história daquele frade franciscano que?...
    — Não sei, não; ora conta lá, João Semana, conta — disse o reitor,
    debruçando-se no peitoril da janela, e já com aspecto risonho.
    — Havia lá no convento - principiou João Semana - uma pintura muito grande
    representando a ceia de Cristo; e era pintura a que mais atraía as meditações
    piedosas do tal reverendo, o qual, de olhos fitos naquele quadro, passava horas e
    horas esquecido de tudo o mais. Outro farde, que tinha notado isto, não pôde ter
    mão em si que lhe não perguntasse com aquela voz de lamúria de franciscano
    manhoso: "Em que pensais vós, irmão, quando com tanta atenção olhais para este
    quadro?" "Nos tormentos que por nós padeceu o Salvador" — respondeu o tal. "E
    longos foram na verdade!" — continuou o primeiro. "Mas por que esta pintura mais
    do que as outras, vos traz tão santas idéias? Não tendes na sacristia a do
    Descimento da Cruz e aquela do Senhor preso à coluna?" "É verdade, irmão,! — dizlhe
    então o franciscano com cara de mortificação — "é verdade, mas olhai que não
    menor tormento era este de ter doze pessoas à mesa, e tão pouco de comer em
    cima dela".
    E João Semana, dizendo isto, roçou as esporas pela barriga da égua, e
    partiu, acompanhado de uma grande gargalhada do reitor, que era perdido por as
    anedotas de João Semana.

    ResponderEliminar
  2. Ali em cima é "frade" e "diz-lhe". Gralhas do pdf.

    ResponderEliminar
  3. Confesso que divirto-me imenso com as respostas das crianças. Nomeadamente as que descobri lendo o Dr. Pedro Bloch (pediatra, dramaturgo, escritor e não sei que mais)
    Se puderem, vejam p.e. "Criança diz cada uma" e "As mãos de Euridice".
    A melhor lôgica é a infantil.

    ResponderEliminar