quinta-feira, 18 de agosto de 2016

[9575] - RÁBULA SOBRE O INSÓLITO...


“Muitos pontos em comum” foi a expressão que se ouviu da boca de Hélder Amaral, convicto de que “os dois países, os dois partidos, têm tudo para que a relação seja cada vez mais forte”.

As declarações foram recebidas com ironia até por elementos centristas. É o caso de Ribeiro e Castro, que não deixou de expressar a sua insatisfação numa publicação feita na sua página no Facebook.

Após ouvir as palavras de Hélder Amaral e depreender que o deputado “tinha gostado muito de José Eduardo dos Santos, cujo discurso bem poderia ser um discurso de Paulo Portas num congresso do CDS”, o antigo líder do CDS não poupou no sarcasmo.

“Esse congresso do CDS talvez venha a contar também com a presença de delegações do Partido Comunista de Cuba, do Partido do Trabalho da Coreia do Norte, do Partido Comunista do Vietname, da FRELIMO, da Frente Polisário e do Partido Comunista da China - tudo delegações estrangeiras cuja presença em Luanda é destacada pelo influente Jornal de Angola’ ao lado da do CDS-PP”.

“A confraternização fraterna abrirá certamente novas relações correligionárias. Não fora a sua conhecida aversão a viajar, poderíamos mesmo contar já como assegurada a presença de Kim Jong-un, a liderar a delegação do Partido do Trabalho norte-coreano. Esse Congresso do CDS-PP reunirá certamente em Viseu [de onde Hélder Amaral à natural]”, acrescentou o centrista. (Noticias ao Minuto)

Sem comentários:

Enviar um comentário