quarta-feira, 16 de novembro de 2016

[9914] - É ILEGAL, O CASAMENTO GAY ?!

Sexta-feira 15 de julho 2016


 Estrasburgo, França. - Por unanimidade, o Tribunal líder mundial dos Direitos Humanos estabeleceu textualmente que "não existe o direito ao casamento homosexual"


Os 47 juízes dos 47 países do Conselho da Europa, que integram o pleno do Tribunal de Estrasburgo (tribunal mais importante do mundo dos direitos humanos) emitiram uma declaração de grande relevância, que tem sido surpreendentemente silenciada pelo progressismo informativo e sua área de influência.

Na verdade, por unanimidade, os 47 juízes aprovaram o acórdão que estabelece que "não existe o direito ao casamento homosexual"

A sentença foi baseada num sem número de considerandos filosóficos e antropológicos baseados na ordem natural, senso comum, relatórios científicos e, claro, no direito positivo. Dentro deste último, principalmente, a sentença foi baseada no artigo n ° 12 da Convenção Europeia dos Direitos Humanos. Dito é equivalente aos artigos dos tratados de direitos humanos, como no caso do 17 do Pacto de San José e No. 23 do Pacto Internacional sobre os Direitos Civis e Políticos.

Nesta histórica, mas nada divulgada, resolução, o Tribunal decidiu que a noção de família não só contempla "o conceito tradicional de casamento, ou seja, a união de um homem e uma mulher", mas também que não devem ser impostas a governos a "obrigação de abrir o casamento a pessoas do mesmo sexo".

Quanto ao princípio da não-discriminação, o Tribunal também acrescentou que não existe qualquer discriminação, já que "os Estados são livres de reservar o casamento a apenas casais heterossexuais."

Nós precisamos de divulgar este tipo de notícias, porque vai haver governos que não querem que as pessoas saibam.

http://abemdanacao.blogs.sapo.pt/2016/09/02./

Sugestão de
Valdemar Pereira







3 comentários:

  1. O que é de estranhar é a legalização de uma monstruosidade humana. Para mim, é o que isso é, não me importando de ser alvo das conhecidas objurgatórias oriundas de sectores esquerdistas e dirigidas a pessoas que pensam como eu. Não abomino a homosexualidade desde que as ligações e uniões ocorram na privacidade. Não aceitável é que outros aceitem como normal o que é verdadeiramente uma aberração da natureza.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Graças a Deus, aqui a lei não é homofóbica e nosso conceito de família é baseado em cuidado e amor. Estes "monstros" amorosos, são bem melhores pais que muitos homens e mulheres que abusam de suas crianças, pais omissos e homens que não assumem seus filhos. Aqui pode-se casar e adotar!

      Eliminar
    2. Minha amiga, todos temos o direito à diferença e ninguém tem a prerrogativa do fundamentalismo que, como sabemos, é uma arma de dois gumes... Não convence ninguém, afirmar que os casamentos convencionais só produzem maus pais e más mães e que a solução está nas uniões gay...Para se criarem paradigmas vão ser necessárias algumas gerações e, já agora, aqui, a lei também não é homofóbica e os que, no seu direito inalienável de discordar o fazem das uniões entre seres do mesmo sexo também não são, necessáriamente, homofóbicos! Só Deus é detentor da verdade!

      Eliminar