sábado, 7 de fevereiro de 2015

[7757] - RECORDANDO W. C. ...


Creio que muito poucos dos visitantes deste blogue se recordarão ou saberão quem foi este robusto cavalheiro, de quem se celebra, hoje, o cinquentenário do falecimento...
Winston Churchill era o Primeiro Ministro britânico, aquando da II Grande Guerra Mundial (1939-1945) mas já antes se notabilizara como jornalista - reportou "in loco" a independência de Cuba, de onde lhe veio o vício pelo charuto - escritor (Prémio Nobel) e pintor de mérito - são célebres algumas das suas telas pintadas quando de uma estadia na ilha da Madeira...Lorde do Almirantado, tinha mau feitio e um sentido de humor por vezes mordaz, defensor do Império a todo o transe conseguiu, graças aos seus pronunciamentos pela rádio, manter a alto nível o moral dos civis e militares britânicos...
Após a guerra e nas negociações com Estaline, a quem odiava por ser comunista, conseguiu, graças ao sacrifício da Polónia que ficou sob a alçada soviética, manter a Grécia no "clube" do chamado "Mundo Livre"...
As malhas que a política tece!

12 comentários:

  1. É dele esta preciosidade:

    Jornalista: -- Qual é o segredo da sua longevidade?
    W.C --- O desporto, meu caro... Nunca o pratico!

    ResponderEliminar
  2. Como todos os grandes homens (e até os pequenos), Churchill tinha um lado negro. Só que o lado negro dele era bem menor que o lado branco. Já o seu maior rival, o sujeitinho baixote do bigode estreito, tinha um lado sombrio de 97% contra 3 % de lado diurno. Enfim, a massa humana nem sempre sai perfeita. Aliás, isso acontece muito raramente.

    Braça à II WW,
    Djack

    ResponderEliminar
  3. Ê sobejamente conhecida a animosidade (reciproca) existente entre Winston Spencer Churchill e o grande Charles De Gaulle por o primeiro detestar o (então) Coronel. Mas isso não os impedia de se encontrar e discutir planos e tudo mais para ganhar a Segunda Guerra Mundial.
    Também se alguns sabem que ele detestava o desporto, muitos nunca esqueceram da frase "NUNCA TANTOS FIZERAM TANTO POR TANTOS"(a).
    Frase proferida quando o serviço de inteligência britânico informou ao então primeiro-ministro britânico Winston Churchill, o sucesso da Batalha da Normandia, que marcaria o início da libertação da Europa Ocidental Continental das forças alemãs. (06 de Julho de 1944).
    Na nôs terra, infindas dificuldades, o Churchuill era admirado como um Deus Salvador e o nosso eterno B.Leza compôs-lhe a morna "Hitler ca ta ganhà guerra, nem nada".

    (a) Outras versões existem nomeadamente "Nunca tão poucos fizeram tanto para Tantos".

    Hip, hip, hurra !!!

    ResponderEliminar
  4. Se a memória não me atraiçoa, a frase original, era NUNCA, NO CAMPO DOS CONFLITOS HUMANOS, TANTOS DEVERAM TANTO A TÃO POUCOS!
    Braça com três Hip...
    Zito

    ResponderEliminar
  5. " Na nos terra,...... Churchill era admirado como um Deus Salvador,,,"

    Efectivamente, todos o veneravam. Assim o armador Ferrin manifestou a raiva que tinha do seu principal inimigo,

    (Crioulo oral)


    Sun táva panhá quele ome basofo qûes ta tchamá Hitler, um táva marra-le um corda na orela d'ovo... um tá pertá-le, um pertá-le...pâ cande ele gritá um perguntá-le: àle oudebe desgraçáde?

    Verdade verdadinha!

    ResponderEliminar
  6. Hitler ca ta ganhá guerra, ni nada, morna de B.Leza que ficou célébre e que foi cantada por uma outra diva da morna - Titina. Dizia B.Leza que Tchuchill ê um barra di aço// qui ca ta derretê// na céu e na mar// el tem qui vencê. E provou ficando na historia como um dos maiores herois da Segunda Guerra Mundial.A participaçao do terceiro mundo na Segunda Guerra Mundial (India e paises africanos) permitiu as Independencias que se seguiram no terceiro mundo a começar pela India (1947).

    ResponderEliminar
  7. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  8. Churchill grande democrata. Está aqui o recado que mandou ao papão Hitler que fazia medo a todos menos a este senhor gorduchinho:
    We shall defend our island, whatever the cost may be, we shall fight on the beaches, we shall fight on the landing grounds, we shall fight in the fields and in the streets, we shall fight in the hills; we shall never surrender.
    Read more at http://www.brainyquote.com/quotes/quotes/w/winstonchu161337.html#Rd0LqIJ4pbtFFM7F.99

    ResponderEliminar
  9. Em muitas casas em S.Vicente se viam fotos de Churchill e da Familia Real Britânica e regularmente eram distruidas revistas enaltecendo os Aliados nomeadamente a Grã Bretanha em quem todos depositavam confiança para a liquidação do Eixo. Qualquer curioso, mesmo sem grande instrução, conhecia os Generais Montgomery, Tedd (ingleses), Eisenhower e Marsahll (américanos), além do popular primo do rei, Almirante Lord Montbatten. As noticias da BBC, às 08,00 (20 hs) lançadas pelo grande locutor brasileiro Lé Ramos de Carvalho eram seguidas junto de mapas onde se registavam os avanços e retrocessos. Menino que eu era fazia questão de ir ouvir com bastante interesse.
    Lembranças que trazem outras porque dizem-nos respeito.
    V/

    P.S. - Curiosamente havia quem falasse do General Rommel que inspirava medo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. JÁ AGORA, UMA NOTA AO LOCUTOR PORTUGUÊS DA BBC - FERNANDO PESSA - QUE ME HABITUEI A OUVIR DESDE A MINHA CHEGADA A S.VICENTE...

      Eliminar
  10. Parece que se perdeu irremediavelmente a forma em que foram feitos e moldados homens destes. Que o diga a UE.

    ResponderEliminar